uma eternidade de eu te amo

.

em menos de dez dias, ou um pouco mais do que isso, eu noivei, juntei a papelada que me ligará à ela perante a lei dos homens; conversei com meus pais e saí do tal armário de vidro que sempre morei. em dez dias meu amor conseguiu um emprego e eu recebi aumento de salário. em dez dias, ou um pouco mais que isso, eu comi todas as minhas unhas e tive minha vida romântica particular invadida de bons pitacos sobre tons de lilás, texturas e flores. em pouco mais de dez dias eu ouvi não sei quantos estou feliz por vocês e boa-sorte. em pouco mais de dez dias tirei um piano de minhas costas, a imprensa cearense deseja saber quem eu sou e meus amigos, aqueles poucos e muito bons amigos, seguram minha mão nesse novo ciclo.

para fazer um casamento, por mais que seja coletivo, às pressas e de graça, é preciso muito detalhe. por exemplo ter que deixar as unhas crescerem para passar aquela base incolor, mesmo que tudo o que você mais queira na vida é roê-las sem parar. nem sei o que seria de mim se não tivesse amigas que me dessem opções de escolha de vestidos estilos-coisa-nenhum-mas-com-estilo-vai-ficar-uma-graça-em-você. e que fossem comigo comprar o tecido e escolher a cor. e me dessem esses tecidos e as rendas e o empurrão. e que dissessem eu acho que posso fazer, e cortam e moldam, inventam, apertam e lá está o vestido mais caprichado do mundo inteiro! oferecem lua-de-mel em praia paradisíaca e pensam e compram os buquês. e oferecem a maquiagem e todos os seus apetrechos e pincéis que colorirão meus olhares. e dizem que vão fotografar, se oferecem aos muitos os amigos queridos numa orquestra ritmada de afetos.

espalhamos convites, convidamos às danças, estamos ansiosas e com cara de meninas amarelas que esperam pelas férias de final de ano. em pouco mais de dez dias risquei folhas do calendário, acordei ao lado dela, cuidei de jardins e aprendi como se retira a asa quebrada de um passarinho. em dez dias, um pouco mais ou pouco menos, nunca se sabe, fui me tornando a pessoa mais radiante do mundo inteiro e sei, me sei caber dentro do abraço dela, meu ninho.

trocaremos alianças, assinaremos um papel que nos une perante as leis humanas. uma família se constrói há quase dois anos: histórias, dias e noites inteiras e uma eternidade de eu te amo que ainda tenho pra dizer, ouvir e sentir.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s