corre em mim o sangue de meus antepassados

.

no porta-retrato vô e vó sorriem em meio aos anos noventa e tantos que já vão longe. daquela alegria, daquele instante ainda corre em mim o sangue de meus antepassados e essa contemporaneidade que é ouvir seu antônio me abençoar, beijando-me a mão com um terno: que deus te dê mais amor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s